Sound like this!


frYars
março 30, 2009, 3:21 am
Filed under: Uncategorized | Tags: , , , ,

fryars

Contradição. Essa é a palavra que você precisa conhecer pra entender e definir frYars aka Ben Garrett. É da Inglaterra que vem esse rapaz de 20 anos, de inocentes cachinhos e uma voz de barítono que você jamais julgaria pertencer a alguém com o biotipo dele. Mas repare no olhar, ele diz muito sobre a produção de Ben.  

A principal característica de Garrett é a produção de músicas com a suave melodia do piano, um ar romântico, inocente, até mesmo um toque clássico como é o caso de The Ides. Tudo isso combinado com letras que simplesmente não pertencem a tais acordes. Em The Ides ele expressa decepção, ódio – “you should’ve died that very night/ good job for you i wasn’t born a killer” – mas se você não entendesse o que ele diz, suspeitaria disso? O vídeo da música poderia dar uma dica sobre o conteúdo, mas com bailarina e tudo ainda é um paradoxo só.  

Essa foi a primeira expressão oficial do que seria frYars, lançada no EP homônimo em 2007, juntamente com mais outras três faixas: Chocolate, Happy e Madeline. Não se deixe enganar pelos nomes, não há muita doçura nelas não, pelo menos não nas letras. Digo que foi oficial porque antes desse EP houve uma demo chamada “The Rise of Jack and Chloe” que nunca foi lançada, mas que já continha uma boa amostra do trabalho dele.       

Em 2008 ele mostrou que não vai sossegar enquanto não conquistar seu espaço e, então,  foi lançado um novo EP – “The Perfidy” – também com 4 faixas: Olive Eyes, Benedict Arnold, The Novelists Wife e Benedict Remixed. O destaque é Olive Eyes, repetindo a mesma fórmula: melodia doce e pop + letra nada politicamente correta – “you have a womb/ you shall deliver me a boy”.     

frYars – Olive Eyes [download]

Agora frYars está de volta e dessa vez trazendo reforço, Dave Gahan do famigerado Depeche Mode acompanha o garoto na faixa “Visitors”,  que vem anunciar a chegada do primeiro albúm: Dark Young Hearts. Acho o nome bem apropriado julgando o trabalho que foi apresentado até agora.    

Ao que parece o albúm traz poucas surpresas e na verdade é a reunião de tudo o que ele ja lançou, incluindo as faixas da demo “The Rise of Jack and Chloe“, mas ainda sim com algumas faixas inéditas, como a própria Visitors.     

Essa é a provável tracklist, mas não foi confirmada ainda:  

  1. Visitorsfryars31
  2. Lakehouse
  3. Olive Eyes
  4. The Ides
  5. Of March
  6. The Novelist’s Wife
  7. Benedict Arnold
  8. Happy Madeline
  9. Bedtime
  10. Horse or Man
  11. Polystyrene
  12. The Box
  13. Atoms for Peace
  14. Groves
  15. Chocolate
  16. The Rise of Jack and Chloe
É bom dizer que ele também faz remixes, como os que fez pra Felt Tip(fryars remix) do Love is All e Sunset Blvd(fryars remix) do Pacific!       

Então minha gente, frYars vem confirmar aquele velho ditado que diz “as aparências enganam”, mas também vem pra nos deixar encantados com sua voz, sua música  e seu talento. Logo, você vai notar que é fã dele, pode apostar.



Lip Dub
março 24, 2009, 3:36 am
Filed under: Uncategorized | Tags: , , ,
Sabe aqueles seus banhos intermináveis em que você se sente o Elvis Presley e com seu microfone (frasco de shampoo) deixa fluir todo o seu potencial musical? Então, sabia que dá pra você usar esse seu dom artístico pra fazer sucesso na rede? Isso se chama Lip Dub, a técnica de sincronizar movimentos labiais com uma música para fazer um videoclip. A idéia surgiu a aproximadamente dois anos, quando o criador do Vimeo – Jakob Lodwick – filmou a si mesmo cantando pela rua. 

Mas se popularizou mesmo com o vídeo feito pela galera do escritório da própria Vimeo

O conceito é tão simples quanto a produção do vídeo. Não precisa ser nenhum Spielberg, muito pelo contrário, quanto mais natural e espontâneo for o vídeo melhor e mais original. Escolha sua música favorita, aumente o volume, cante até você sentir o coração bater junto com o ritmo, chame uns amigos pra cantar com você, usem uma câmera apenas, editem o vídeo para retirar o áudio original e sincronizar a música (mas não encha de efeitos, lembre-se que o legal é não ter efeitos), carregue no youtube. 

Viu como é simples e barato ser criativo? E se  seu vídeo for realmente bom, logo você vai estar famoso. Por exemplo, eu descobri Lip Dub por meio do Twitter do Mika, ele adorou o vídeo que os estudantes da HEC fizeram pra música Lollipop. 

Procure por “Lip Dub” no Youtube, você vai encontrar muitas músicas que não ouvia a muito tempo com novas e criativas interpretações. E, óbvio, não deixe de fazer parte.

Divirta-se!



Junior – Röyksopp
março 21, 2009, 4:33 am
Filed under: Review | Tags: , , ,
Bem, nada melhor pra aparecer no início de um blog do que um albúm chamado “Junior”, não é verdade? Acho bem pertinente. 

royksopp-junior2

Sempre achei Röyksopp uma versão mais pop do The Knife e talvez não esteja errada, uma vez que Karin Dreijer ‘adota’ a dupla por muitas vezes. Quem nunca ouviu “What Else is There?” e seu remix do dinamarquês Trentemoller que alcançou público maior do que a versão original? Pra quem só conhece Röyksopp por meio dessa faixa, talvez imagine algo introspectivo, sombrio, mas ao mesmo tempo uma explosão de emoções e sentimentos. Não se deixem enganar, isso é resultado da voz mais do que única de Karin, que empresta ao trabalho da dupla um outro aspecto, um outro ponto de vista. Assim como a dupla faz com ela no novo albúm. Karin se torna mais pop, menos sombria. 

E é essa a característica mais marcante de Junior, em minha singela opinião, um ar mais pop. Até mesmo comercial, eu me arriscaria a dizer. O albúm costura um ar melódico e uma dance music mais banal, mas sem perder o cool. 

Happy Up Here, soa infantil, alegre, pra começar o dia de bem com a vida. Sabe comercial de margarina com família ao redor da mesa e tudo mais? Simplesmente a música foi feita pra um desses. Não tome isso como um ponto negativo, só estou enfatizando a fofura da música, acredite.

Em The Girl and The Robot, temos Robyn, dando todo seu ar dance à faixa. Os vocais meio que quebram a música em pedacinhos, não sei se é impressão minha, mas isso deixa a música ainda mais interessante. Em This Must Be It, temos a inconfundível voz de Karin Dreijer e como já falei, você que conhece The Knife de outras épocas, ou até mesmo leu o post do Thiago aqui embaixo, vai notar uma significativa diferença, mas Karin não deixa de imprimir sua personalidade em sua participação no trabalho da dupla, basta conferir Tricky Tricky. Outra cantora que dá o ar de sua graça no albúm, é Lykke Li, a fofura de cantora nórdica, que, como não poderia deixar de ser, emprestou um pouco de seu “eu” para a faixa Miss It So Much.

Em linhas gerais? Junior é o pop fofurinha do ano, até o momento. Vamos esperar “Senior”, que como o nome sugere, venha a ser mais maduro. Por ser fofurinha, Junior não deixa de ser bom. Sabe aquele seu lado pop que não se rende a ‘dance music Jovem Pan style’ por uma questão de princípios? Então, ele agora vai poder se libertar um pouco, sem abrir mão de ser alternativo. 

Tracklist:

  1. Happy Up Here
  2. The Girl and The Robot
  3. Vision One
  4. This Must Be It
  5. Röyksopp Forever
  6. Miss It So Much
  7. Tricky Tricky
  8. You Don’t Have a Clue
  9. Silver Cruiser
  10. True To Life
  11. It’s What I Want
  12. Were You Ever Wanted

Uma versão em marchinha pra Happy Up Here foi disponibilizada pra download gratuito no site do Röyksopp e pra deixar esse post ainda mais doce, olha ela aí pra vocês: Happy Up Here(Marching Band version) 

P.S: Gente qualquer coisa muito ilógica nesse reviem, desconsiderem. É minha primeira vez. Sejam legais comigo 😉